Usuário:
Senha:
 
  Esqueci minha senha
 
HOME  |   CÉLIA PENATTI  |   NOTÍCIAS  |   CONTATO
   
 
Agenda 
Artigos
Calendário
Challengianos em Ação
Depoimentos
Downloads
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos
 
Get the Flash Player to see this rotator.
 
 
Artigos
 

 07-01-2011
O vocabulário do sucesso


 

Há vários anos tive uma reunião de negócios bastante esclarecedora, em que aprendi o impressionante poder das palavras. Estava com dois homens que conhecia havia bastante tempo, e acabáramos de descobrir que um associado nos negócios tentara se aproveitar de nós. Eu me sentia transtornada com a situação. Creio que se pode até dizer que estava furiosa. Um sócio estava tão irritado que ficou com o rosto vermelho.

-Estou furioso!

Perguntei por que se sentia tão zangado.

-Porque se você fica realmente furioso, torna-se forte e pode mudar qualquer coisa!

Mas o outro sócio mantinha-se calmo.  Estava "um pouco amolado", disse ele. Amolado?

-Por que se sente um pouco amolado, em vez de furioso? - indaguei.

-Se você se zanga demais, perde o controle. E o outro vence.

Amolado. Achei que era a palavra mais estúpida que já ouvira. Como aquele sujeito bem sucedido podia usar uma palavra assim e ainda ficar sério?

A resposta era que ele não precisava se esforçar para isso. Quase parecia gostar de falar sobre coisas que teriam me levado a loucura. A palavra surtiu um efeito inequívoco nele... e em mim. Por algum motivo, dizer "amolado" fazia-me sentir menos transtornada.

Por isso resolvi experimentar. Parti numa viagem de negócios, cheguei ao hotel em que fizera reserva, descobri que não tinham um quarto para mim.

-Desculpe, mas quanto mais fico parada aqui, mais me sinto amolada.

O recepcionista fitou-me, sem saber como reagir, e sorriu contra a vontade. Tive de retribuir o sorriso.

Durante as semanas subseqüentes, usei essa palavra em diversas ocasiões. A cada vez, achava-a tão estúpida que rompia meu padrão de raiva ou frustração, no mesmo instante baixava minha intensidade emocional.

Era apenas uma palavra. Mas a maneira como falamos para nós mesmos - as palavras específicas que usamos - controla nosso modo de pensar. E a maneira como pensamos controla como nos sentimos e o que fazemos.

Se você diz que esta "furiosa", "indignada" ou "arrasada", que tipos de sentimentos terá? Que tipo de perguntas fará a si mesmo? O que estará focalizando? Sua pressão não vai subir pelas paredes?

Mas suponhamos que em vez de "furiosa" você fique apenas "amolada"? Em vez de "irritada", apenas "contrariada"? Em vez de "rejeitada", apenas "incompreendida"? E em vez de "arrasada", apenas "um pouco aborrecida"? Acha que começaria a se sentir diferente? É melhor acreditar que sim!

Talvez esse meio pareça simples demais. Não pode ser tão fácil assim mudar como nos setimos apenas pela alteração de nossa linguagem! Mas a verdade é que as palavras possuem o poder de modificar como nos sentimos. É por isso que ficamos tão comovidos quando ouvimos, mesmo décadas depois, as palavras de Martin Luther King Jr. sobre seu sonho, ou sobre John F. Kennedy falando sobre o que uma pessoa pode fazer por todo um país. As palavras mudam nosso modo de sentir. A maioria das pessoas não tem uma percepção  consciente das palavras que usa ao se comunicar com as outras - e consigo mesma - no dia a dia, muito menos a maneira por que afetam como pensamos e sentimos, de um momento para o outro. Se, por exemplo, alguém lhe diz que está enganado sobre alguma coisa, você pode ter uma reação. Se alguém lhe diz que está errado, você pode ter uma reação mais intensa. Se lhe dizem que está mentindo - embora seja essencialmente a mesma declaração -, a simples mudança de uma palavra pode alterar a maneira como você pensa e sente no mesmo instante, não é?

Sentindo-se estimulado (a)

Também funciona no sentido inverso. Você pode aumentar o volume das emoções felizes pela simples mudança do modo como as descreve. Sinta-se "extasiado" em vez de apenas "satisfeito".  "Fascinado", em vez de apenas "interessado". "Maravilhoso", em vez de apenas "bem". Você não é apenas "determinado", mas "incontrolável".

Ou seja, você deve se preparar para um novo tipo de teste de vocabulário. Pense em algumas palavras que usa para descrever sua vida que fazem com que se sinta horrível. Depois pense em algumas palavras novas que pode usar no lugar delas. Pode fazer com que sejam cômicas, se quiser. Divirta-se!

Vamos exercitar?

Palavra antiga,                                                                    Palavra nova,

Enfraquecedora                                                                 Esclarecedora

________________                                                         ____________________

________________                                                         ____________________

________________                                                         ____________________

 

Tenho certeza de que você conhece algumas palavras extraordinárias! Só para lhe dar mais algumas idéias, apresento a seguir uma lista de palavras que ouvi ao longo dos anos.

 

Emoção Negativa,                                                               Transforma-se em expressão

Furioso                                                                                Desencantado

Deprimido                                                                           Calmo antes da ação

Desapontado                                                                      Expectante

 

Viva a sua vida no hoje.

Vibre com pequenos sonhos.

Acredite que somos vencedores.

Com  carinho,

CÉLIA PENATTI



 
ÚLTIMOS ARTIGOS

27-05-2011 - Amar Guimarães Rosa
07-01-2011 - Flexibilidade feminina
07-01-2011 - Crescer no amar
07-01-2011 - Ser GG - Gente Grande
07-01-2011 - O vocabulário do sucesso
07-01-2011 - Administrar o tempo, cuidando da alma
25-08-2010 - O SUCESSO POR MEIO DOS RELACIONAMENTOS
02-07-2010 - AMANDO E MUDANDO
02-07-2010 - Atendimento ao cliente
02-07-2010 - A grande arte de decifrar pessoas
02-07-2010 - A MAGIA DA ATITUDE POSITIVA
02-07-2010 - A arte do encontro
23-03-2010 - Torturando palavras
23-03-2010 - A função do FGTS
23-03-2010 - Acidentes de trabalho e a folha de pagamento de 2010
23-03-2010 - Flexibilizar a legislação trabalhista?
 
 
Célia Penatti
Rua Bernardo Cupertino, 723 - Uberlândia/MG - Martins
Fone: (34) 3236-2041
Desenvolvido por Webearte